VASCO DA GAMA

VASCO DA GAMA

Navegador

Não se sabe quando é que nasceu, tendo morrido, em 1524, em Cochim, na Índia.

Pertenceu à Ordem de Santiago, tendo transitado para a de Cristo, em 1507.

Foi o capitão-mor da armada que finalizou o descobrimento do caminho marítimo para a Índia, composta pelas naus S. Gabriel, comandada por Vasco da Gama, S. Rafael, comandada pelo seu irmão Paulo da Gama, e a caravela Berrio, comandada por Nicolau Coelho. Seguia ainda integrado um navio velho destinado a dar apoio aos outros navios, e a ser queimado quando deixasse de ser preciso. Zarparam de Lisboa a 8 de Julho de 1497, tendo chegado a Calecut a 20 de Março de 1498.

Navegando em direcção ao Atlântico Sul, a frota fez escala em Cabo Verde, no início de Agosto. Em Novembro, chegava à baía de Santa Helena, já no Atlântico Sul, depois de ter feito uma navegação em arco por causa dos ventos contrários.

Após ter ultrapassado o cabo de Boa Esperança e já no oceano Índico, a frota tomou a direcção norte, subindo a costa africana. Esteve na foz do rio Zambeze e na ilha de Moçambique, em Mombaça e em Melinde, onde teve a ajuda do sultão da cidade, que lhe arranjou um piloto experiente na navegação no Índico e que conduziu a armada até Calecut.

Em Julho de 1499, estava de regresso a Portugal, com a boa nova, que D. Manuel I teve a preocupação de dar a conhecer aos monarcas de Castela e de Aragão.

Como recompensa por este feito, D. Manuel I conferiu-lhe uma série de honrarias, como rendas reais anuais e dízimas de pescado das vilas de Sines e de Milfontes; mas, o mais importante foi a sua elevação à categoria de Dom e, em termos político-militares, a sua nomeação para almirante-mor da Índia.

Em 1502, D. Vasco da Gama voltou à Índia, como comandante de uma armada de 20 navios, com o objectivo de punir o Samorim de Calecut por aquilo que permitiu que fizessem aos portugueses da feitoria aí estabelecida por Pedro Álvares Cabral, dois anos antes. Regressou ao reino em 1504.

A 9 de Abril de 1524, já no reinado de D. João III, D. Vasco da Gama, à frente de uma armada, partiu novamente para a Índia, com a incumbência de, ali, assumir o cargo de vice-rei da Índia. Viria a morrer poucos meses depois de chegar a Cochim, tendo o seu corpo sido trasladado para a Vidigueira, da qual era conde, desde 1519.

CAMPOS, Nuno / CARNEIRO, Isabel: O Padrão dos Descobrimentos – roteiro para visita de estudo, Coimbra, 1994

Saber mais: CHAM FCSH – UNL